segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Implantes mamários da marca francesa PIP podem ser prejudiciais


As autoridades de saúde europeias e dos países onde foram comercializados implantes mamários fabricados pela PIP (Poly Implant Prothèse) estão alerta relativamente aos riscos de saúde associados à sua utilização.



O Ministério público de Marselha está a investigar esta empresa por suspeita de fraude, alegando que para reduzir os custos tenha mudado o silicone utilizado nas próteses para um industrial não aprovado para uso médico.

Segundo a Direcção Geral de Saúde, a marca PIP foi utilizada em Portugal até 2010, ano em que o INFARMED suspendeu a sua comercialização. Estima-se que 1500 a 2000 mulheres portuguesas tenham estas próteses impantadas.

Esta marca foi ainda comercializada em países como França, Espanha, Grã-Bretanha, Brasil, Argentina, Chile, Colômbia e Venezuela.

Aconselha-se a que, no caso de ter sido submetida a uma intervenção cirúrgica deste género em Portugal ou num dos países mencionados, não entre em pânico mas consulte o seu cirurgião como medida de precaução.

Consulte o comunicado da DGS

2 comentários:

AVOGI disse...

Ui, que chatice . a beleza tem preço , elevado por vezes
kis :=) Bom NAo

Associação Laço disse...

Os implantes mamários não são unicamente utilizados em operações de estética, mas também, por motivos de saúde, ou seja, mulheres com cancro da mama que se submetem a reconstrução mamária após uma mastectomia.
Seja por qualquer destes motivos, tem que estar assegurada a qualidade dos procedimentos cirurgicos. Por este motivo, a Laço deixa aqui o alerta.